Os motivos pelos quais não consegues vender a tua casa sozinho

vender casa

Apesar das crises financeiras e de saúde pública que vivemos nos últimos tempos, o mercado imobiliário continua em alta, e, a tarefa de vender casa pode dar mais trabalho do que aquilo que se possa pensar.

Vivemos numa época de muita informação e de fácil acesso, onde o mindset DIY –do it yourself – se torna cada vez mais um modo de vida, onde achamos ter informação suficiente para resolver todas as situações do nosso dia-a-dia. Temos a tentação frequente de nos tornarmos médicos de nós próprios ou de darmos palpites em todo e qualquer assunto, isto porque queremos fazer-nos ouvir com base na nossa experiência achando que somos conhecedores de toda a razão. Quando se trata de vender casa, a situação não muda de figura, e é muito comum ver-se proprietários de imóveis julgarem conseguir vender as suas casas sozinhos.

O mercado imobiliário está agora a voltar ao normal depois ter parado a sua atividade com a pandemia e os sucessivos confinamentos. Sendo esta uma altura em que os preços dos imóveis se mantêm altos e estáveis, existe a tentação de nos aventurarmos sozinhos na venda da nossa habitação. E quando pensamos nas comissões de serviço a pagar a um agente imobiliário, esta tentação torna-se ainda mais evidente.

É compreensível que o queiramos fazer por nós próprios, mas também é comum ver-se pessoas que acabam por recorrer a serviços de mediação após a frustração de não conseguirem vender as suas casas. Mesmo quando o mercado está, aparentemente, fácil para vender imóveis, porque quer recuperar, é possível falhar neste processo. Neste artigo vamos mostrar-te os principais motivos pelos quais podes falhar na venda da tua casa.

 

Os motivos principais pelos quais isto acontece ao vender casa podem ser estes que explanamos a seguir.

 

1. Falta de promoção para vender casa

Uma grande maioria de pessoas tem tendência a achar que a divulgação e promoção da venda de uma casa se faz apenas com a colocação do imóvel nos portais imobiliários, muitas vezes com informação pouco relevante ou com um posicionamento de produto que não reflete a realidade do imóvel nem se consegue adequar à procura.

A importância do posicionamento do anúncio face ao target – a escolha do portal adequado, a descrição de venda, a segmentação nas redes sociais – é crucial para atingir o objetivo pretendido (a venda da casa rápida pelo melhor preço).

Se esta segmentação e promoção não for feita de forma adequada vai fazer-te perder tempo e ter gastos que não vão trazer retorno. Mais do que isso, a casa vai se tornar pouco apetecível pois está a ser mostrada de forma desadequada.

 

2. A impossibilidade de cooperação com profissionais

Se pensarmos que as agências imobiliárias têm bases de dados repletas de contactos de potenciais compradores, e que diariamente recebem informação de pessoas que pretendem comprar, por que haveríamos de perder a oportunidade de vendermos o nosso imóvel com ajuda de pessoas especializadas no assunto que nos facilitarão todo o processo e com mais rapidez?

Tal como em todos os setores existem pessoas especializadas e experientes que fazem o seu trabalho de forma competente e informada, este é um setor que não foge à regra e que exige conhecimentos próprios.

Não havendo a hipótese de cooperação com um agente imobiliário podes tentar vender por ti mesmo, mas prepara-te bem com toda a informação sobre o mercado e o imóvel e tem pensamento positivo, pode ser que consigas fazê-lo sozinho.

 

3. Falta de habilidade para negociação e argumentação

Para além dos anúncios dedicados ao efeito, os proprietários também costumam colocar uma placa na frente da habitação indicando a venda do imóvel pelo próprio, com a intenção clara de afastar os profissionais da mediação imobiliária, e ao mesmo tempo, atraindo potenciais clientes que prefiram comprar diretamente ao vendedor, sem ter de lidar com a linguagem própria do mercado.

Mas repara que, um interessado, quando vê esta placa perceciona uma vantagem para obter um preço mais baixo porque neste caso o vendedor não terá custos com honorários havendo maior margem para negociação. Para quem vende, isto pode ser um entrave.

Faz estas perguntas a ti mesmo:

Achas que estás preparado para negociar e responder às perguntas pertinentes dos potenciais compradores, levando a negociação a bom porto?

Será que tens informação sólida de preços e oferta no mercado onde se enquadra o teu imóvel?

Sabes a diferença entre o preço anunciado e realmente vendido dos imóveis na tua zona?

De uma forma geral, a dificuldade que uma grande parte dos proprietários tem para reunir esta informação, de fazer as perguntas certas ou a incapacidade de resposta e argumentação às objeções levantadas perante os problemas encontrados no imóvel, conduzem a erros na negociação que podem ditar o insucesso da venda.

 

4. Expetativas irreais para vender casa rápido

É comum vermos vendedores dos seus próprios imóveis terem a convicção que dominam claramente, toda a informação sobre as suas casas e que sabem como vender casa. Provavelmente têm uma visão pouco realista daquilo que exige o processo de venda de um imóvel, incluindo a realização da escritura e toda a burocracia envolvida.

Não se trata apenas de aguardar que um interessado apareça, mostrar-lhe a casa e esperar que ele aceite o nosso preço.

Muitas destas pessoas, têm tendência a achar que a sua casa é a melhor da sua zona de residência, talvez por fatores emocionais, e julgam que o mercado está sempre disponível para vendas altas. Quando não obtêm contactos efetivamente interessantes, por parte de possíveis compradores, gera-se uma frustração.

 

5. Falta de informação sobre o preço correto

Este é talvez o erro que mais vezes se comete. Queremos tentar obter o máximo valor pela habitação, fazendo frequentemente comparações com a casa do vizinho, ou ainda porque existe uma relação emocional com a casa, o que acaba por criar uma perceção distorcida do valor do imóvel.

Com isto, acabamos por colocar a casa no mercado por um valor que, para o imóvel em questão, pode estar sobrevalorizado, ou o oposto, levando a que haja uma perda de interesse por parte de possíveis compradores. Nestes casos, quanto mais alto for o preço mais tempo levará o imóvel para ser vendido.

 

6. Falta de disponibilidade para mostrar o imóvel

É comum ver-se pessoas que querem vender a sua própria casa, esquecerem-se que para a venderem vão precisar mostrá-la vezes sem conta até que apareça um verdadeiro interessado em comprar. Requer disponibilidade on time, porque como sabemos,  quem procura casa quererá vê-la sem perder tempo.

Neste mercado, a visita virtual, aquele primeiro contacto com o imóvel através da divulgação, é importante para facilitar a decisão de visita ao imóvel, mas a visita física é ainda mais importante para a tomada de decisão de compra. Por essa razão é necessário disponibilizar tempo para estas visitas, assim como também deverás saber liderar a visita salientado os aspetos positivos e, fazer perguntas que te permitam perceber o verdadeiro interesse do potencial comprador.

Deixa uma resposta

O teu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *