Bolha imobiliária em Portugal e no mundo: o que deves saber

bolha imobiliária em portugal

De acordo com um estudo realizado pela Bloomberg Economics – empresa de tecnologia e dados para o mercado financeiro – algumas das maiores economias do mundo, estão a aproximar-se do risco de bolha imobiliária em portugal no atual período pós-pandêmico.

 

O que significaria uma bolha imobiliária em portugal?

Bolha imobiliária é uma expressão usada para descrever a valorização indiscriminada nos preços dos imóveis, durante um determinado período de tempo, seguida de uma desvalorização. Por outras palavras, representa a subida do preço das habitações causada pela superior procura em relação à oferta. O mercado imobiliário global vive um aquecimento, crescendo o risco de uma nova crise imobiliaria, semelhante à vivida em 2008 e que conduziu à Grande Recessão da Economia. O economista-chefe, responsável pelo estudo da Bloomberg Economics refere que “um cocktail de ingredientes está a fazer subir os preços das casas a níveis sem precedentes em todo o mundo”.

Entre os principais indicadores que atualmente contribuem para o risco de uma bolha imobiliária em portugal estão as baixas taxas de juros, os incentivos fiscais oferecidos pelos governos aos compradores, o aumento do interesse dos trabalhadores em regime de home-office em adquirir casas maiores, a baixa oferta de habitações e as expectativas de uma recuperação sólida da economia pós-pandemia. Após este período de aquecimento é expectável uma desvalorização do preço dos imóveis por razões que poderão ir desde a indisponibilidade dos bancos em conceder crédito, à descida natural da procura por habitação, levando desta forma, à rutura da bolha imobiliária em portugal.

É nesta altura que pode existir uma real queda do valor imobiliário, traduzindo-se numa oportunidade para lucrar nesse mercado devido à elevada capacidade de recuperação do setor. Comumente se vê investidores tirarem partido de uma bolha imobiliária em portugal, comprando habitações quando o preço está baixo e vendendo quando identificam que os preços não subirão mais.

 

O risco de uma bolha imobiliária em portugal

O estudo da Bloomberg analisa cinco variáveis ​​para prever a possibilidade de risco de uma bolha imobiliária em portugal, sendo elas:

1) a relação entre preços e arrendamentos,

2) a relação entre preços e rendimentos,

3) o crescimento real dos preços,

4) o crescimento nominal dos preços, e

5) o crescimento do crédito em termos anuais.

bolha mercado imobiliario

Bloomberg

Através destes indicadores, os resultados deste estudo indicam que em muitos países da OCDE, os preços estão agora mais altos, comparativamente com o período pré-crise financeira de 2008. De acordo com o relatório divulgado, que apresenta uma lista de 23 países em risco de atingir uma bolha imobiliária, Canadá e Nova Zelândia ocupam os primeiros lugares, seguindo-se a Suécia, a Noruega, a Austrália, a Bélgica, o Reino Unido, a Holanda, a Irlanda e a Dinamarca. Na posição 16 deste ranking surge o risco de uma bolha imobiliária em portugal.

Fora do top 10, tal como Portugal, estão os países: Espanha, Áustria, França, Estados Unidos, Suíça, Finlândia, Alemanha, Grécia, Itália, Japão e as Coreias do Norte e Sul. Apesar do risco global atual de uma bolha imobiliária, o estudo prevê um arrefecimento da situação se as projeções macroeconómicas se mantiverem.

 

Conclusão: O Mercado imobiliário vai cair?

Para finalizar o relatório, o economista Niraj Shah, acrescenta:

“À medida que aumentam as métricas de risco de uma bolha imobiliária em portugal, como taxas de juros ainda baixas ou políticas macroprudenciais em vigor, é mais provável que o próximo período seja caracterizado mais por um arrefecimento do que por um colapso”.

Deixa uma resposta

O teu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *